quinta-feira, 15 de abril de 2010

Filho Prodigo?

Provocação. Desta vez não venho falar dos abutres da 24 de Julho nem dos fidalgos das pontas pretas, amarelas, verdes, vermelhas, brancas…enfim das cinco cores da nossa Bandeira.
Também não é meu propósito pensar porquê a política anda politizada nem porquê os partidos estão partidarizados. Afinal, a política move-se por interesses e não por amizade.
Não é intenção deste artigo perguntar porquê os professores estão desempregues, nem porquê mesmo com professores desempregados os alunos não estudam por falta de professores.
Não procuro nem saber porquê quando Bihale recebe diploma honoris causa a sala só balbucia com as cadeiras vazias e mesas sem nenhuma migalha de cocktail, ao contrário do que acontece quando a pata recebe Horis Causa.
Não indago porque a cidade de Maputo está tão esburacada em menos de dois anos de governação daquele que dissemos que era o melhor quando em dois anos de governação aquele pior que deliberadamente tiramos já tinha reabilitado o Jardim dos Namorados, limpado a cidade, e reabilitado o sistema de drenagem da Baixa da Cidade Capital.
Venho sim pedir desculpas a todos meus colegas e amigos “internautas” que comigo partilharam opiniões diversas e comigo Manifestaram neste MANIFESTO.
Venho igualmente comunicar que, contra todos familiares, amigos e colegas que me aconselharam a parar de escrever por temerem que a escrita me levasse ao precipício perpetrado pelos dinossauros desta Patria Amada, decidi voltar a escrever. Decidi voltar a escrever. Escrever não o que convém escrever porque o conveniente nem precisa de ser escrito. Vou continuar a escrever o que sinto. E porque muitas coisas que sinto são inconveniências políticas, sociais, económicas e culturais, escreverei sobre elas.
O recado para os me aconselharam a parar de escrever ou a escrever o conveniente: o maior precipício para mim não seria desaparecer desta pátria. Seria sim viver nesta terra como se não estivesse a viver nela, isto é, viver sem liberdade de escrever o que penso.
Espero que me entendam e juntos comigo manifestem. Só não sei se serei bem acolhido como filho pródigo das Sagradas Escrituras.

7 comentários:

Abdul Karim disse...

Bem Vindo a Arena , Mano Bihale.

"When I get a litle money, I buy books; and if any is left, I buy food and clothes" - Desiderius Erasmus

Domingos Bihale disse...

Tinha saudades da sua prontidao e seu gosto pela Leitura. Agora vou mesmo frequentar aqui. Obrigado

Abdul Karim disse...

"Preciona, Preciona, Preciona, quando nao poderes mais, Preciona mais um pouco." Genarel Patton US Army.

Anónimo disse...

Bom estar de volta. As suas escritas sao incomparaveis e indespensaveis. Forca.

Pensei q esse "Monstro o tivesse silenciado.

Noa Inacio disse...

Ngoni,

Meu Chefe,

Fhure, Amado Chefe,


Estou em Nampula neste momento a voltar de Mogovolas,lembras da minha aventura, vai se tornar realidade e no distrito a minha vida.

Ngoni,

Eu sei que nao e isso que queres ouvir, no teu lugar tambem nao quereria ouvir igual coisa, mas juro-te eu sou completamente apaixonado pelo tua incoformismo, me revejo em ti, Ngoni.

Ngoni,

Depois de te ler, colocas-te me desafios, nao sei porque? Mas duma coisa tenho certeza, e dificil perseguir as peugadas do teu pensamento.

Ngoni,

Me vergo ao seu incoformismo, sei que nao e isso que querias ouvir, mas sim o nosso apelo a criacao duma consciencia de Estado.

Ngoni,

Escreve Ngoni, escreve Ngoni, porque se copiares e nao escreveres o teu texto te vai trair.

AMADO furher,

Escreve para eu e nos apreendermos.

Abraco

Do seu miudo.

Domingos Bihale disse...

Obrigado pelo encorajamento, obrigado por tudo. Noa, sei que gostas de voar pelo Mocambique. Lembras-te da Licao do Presidente Chissano naquele Centro de Conferencia que ostenta o nome dele? Pois te recordo: "Se quereis tornar-vos em bons diplomatas, conhecam o Pais real. Assim te torna-las em bom diplomata.


PS: De que tinhas "veia" de Poeta nao Sabia. Lindo e emocionante.

Ilustre Agorista que sempre vem anonimato, o monstro quase que me silenciava. Mas, se deixarmos de pensar deixamos de existir.

Genneth disse...

FORÇA, CONTINUA ESCREVENDO, ADMIRO SUA CORAGEM E INTELIGÊNCIA NAS ESCRITAS, TODAS BEM ENQUADRADAS.

FORÇA

ZICOMO